• Apenas considera??es despretenciosas - Carla Cristina

  • O menino poeta - Carlos Drummond de Andrade

  • Protesto é a forma mais legítima de lutar contra a injusti?a - Maquito Pira

sexta-feira, dezembro 12, 2014

Nosso último post!


Tudo o que chega, chegasempre por alguma raz?o
Glória Hurtado

“Sempre é preciso saber quandouma etapa chega ao final...Se insistirmos em permanecer nela mais do que otempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas queprecisamos viver. Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos. N?oimporta o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vidaque já se acabaram. Foi despedida do trabalho? Terminou uma rela??o? Deixou acasa dos pais? Partiu para viver em outro país? A amizade t?o longamentecultivada desapareceu sem explica??es? Você pode passar muito tempo seperguntando por que isso aconteceu....Pode dizer para si mesmo que n?o darámais um passo enquanto n?o entender as raz?es que levaram certas coisas, queeram t?o importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas empó. Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seus amigos,seus filhos, seus irm?os, todos estar?o encerrando capítulos, virando a folha,seguindo adiante, e todos sofrer?o ao ver que você está parado. Ninguém podeestar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamosentender as coisas que acontecem conosco. O que passou n?o voltará: n?o podemosser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ourancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma liga??o com quem jáfoi embora e n?o tem a menor inten??o de voltar. As coisas passam, e o melhorque fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora...Por isso é t?oimportante (por mais doloroso que seja!) destruir recorda??es, mudar de casa,dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem. Tudo nestemundo visível é uma manifesta??o do mundo invisível, do que está acontecendo emnosso cora??o... e o desfazer-se de certas lembran?as significa também abrirespa?o para que outras tomem o seu lugar. Deixar ir embora. Soltar.Desprender-se. Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto àsvezes ganhamos, e às vezes perdemos. N?o espere que devolvam algo, n?o espereque reconhe?am seu esfor?o, que descubram seu gênio, que entendam seu amor.Pare de ligar sua televis?o emocional e assistir sempre ao mesmo programa, quemostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenasenvenenando, e nada mais. N?o há nada mais perigoso que rompimentos amorososque n?o s?o aceitos, promessas de emprego que n?o têm data marcada paracome?ar, decis?es que sempre s?o adiadas em nome do "momento ideal".Antes de come?ar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmoque o que passou, jamais voltará! Lembre-se de que houve uma época em que podiaviver sem aquilo, sem aquela pessoa - nada é insubstituível, um hábito n?o éuma necessidade. Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muitoimportante. Encerrando ciclos. N?o por causa do orgulho, por incapacidade, oupor soberba, mas porque simplesmente aquilo já n?o se encaixa mais na sua vida.Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quemera, e se transforme em quem é. Torna-te uma pessoa melhor e assegura-te de quesabes bem quem és tu próprio, antes de conheceres alguém e de esperares que eleveja quem tu és. E lembra-te: Tudo o que chega, chega sempre por alguma raz?o.”

(Gloria Hurtado)


Olá queridos e queridas desseespa?o virtual que há muito já chegou ao seu tempo “final”. Nada melhor do quea poesia que tanto nos inspirou para encerrar e explicar (?) esse tempo.Nunca escrevemos por obriga??o, por ibope, por dinheiro. Sempre priorizamos orelacional, a individualidade e a singularidade de cada uma das “Meninas doReino” e hoje somos meninas crescidas, embora sempre meninas, embora sempre doReino Dele, amadas e amparadas nos bra?os Dele que é e ponto final.

Hoje cada uma com suas escolhas,caminhos, prioridades. Algumas dando continuidade às atividades virtuais,outras mais focadas no “real”. N?o importa! Importante mesmo é sabermos fecharportas, reconhecer ciclos – iniciais e finais e esse blog tem agora o seu “TheEnd”, o seu “That’s all, folks!”, o seu “gran finale”, talvez sem o“gran”... risos. O que importa é que é preciso embalar em la?o de fita e comtoda a ternura do cora??o esse espa?o que tanto fez por nós e por muitospróximos ou distantes de nós.

O site continuará no ar,flutuando como uma cápsula de um tempo de recorda??o, como jóia guardada emcaixinha de veludo. Algo a ser recordado, discordado mas que foi plenamentevivido e amado.

Creio que todos têm acesso aoscanais de comunica??o de cada uma das componentes do blog e qualquer coisa nosescrevam por aqui. Em algum momento prometemos vir “espiar”.

A página do Facebook será deletadaou ficará como este espa?o aqui, embalada, lacrada. Sem movimentos! Agradecemosas quase 10 mil curtidas por lá e ao mais de meio milh?o de pessoas quepassaram em nosso blog/site por aqui. Aos amigos e (i)nimigos conquistados(risos). Enfim, já escrevi demais, assim como costumo falar demais, sentirdemais,  sou ou somos todos um pouco“over, baby”!

Com amor e gratid?o,

Roberta Lima
12/12/2014

sexta-feira, setembro 12, 2014

O céu de Nina

















Semanas, meses inteiros, um ano.
A primavera, o ver?o e suas emo??es.
Risos que se transformam em gargalhadas sem fim.
Sonhos compartilhados, ora??es diárias, amizade vivenciada.
Músicas favoritas, poemas, filmes e livros marcantes.
Fé, jornada compartilhada com dúvidas e as conquistas.
Delicadeza, sinceridade e aquele “olhar bom” sobre osdemais.
Histórias da vida, generosidade e fé simples na prática.
Blog, redes sociais e telefonemas de infinitos minutos.
Amizade que se consolida na celebra??o do que é sagrado.
Os ipês amarelos, as flores delicadas, o azul do céu deNina.
Tudo quanto o Eterno fez para ser abra?ado.

Mana querida, hoje eu celebro a sua vida!
Abra?o de urso.

#2 Andréa Cerqueira
@acspira










ter?a-feira, setembro 09, 2014

O amor pode nos machucar

Imagem: Tumblr

Sou movida por música. Frequentementesou aquele tipo de pessoa que ouve a mesma can??o uma centena de vezes, até absorvê-la.Aconteceu hoje.

Ouvi uma can??o que, traduzida,dizia: “Amar pode machucar, amar podemachucar às vezes, mas é a única coisa que conhe?o”. E qualquer que seja o nívelde amor que usemos como exemplo, é verdade, amar pode machucar. Acertando eerrando, já aprendi que o amor humano é imperfeito.  Creio que somente o amor divino expresso nacruz de Cristo é capaz de nos completar, pois todos os demais amores, familiares,fraternos e rom?nticos, podem nos machucar. E pior ainda, é que podemos machucá-lostambém. Já estive dos dois lados da moeda em todos esses níveis derelacionamentos, errei e erraram comigo. O fato é que estamos sujeitos adecep??es e, por ironia, elas costumam ser uma generosa escola de aprendizado.

Acredito que a grande quest?o n?oestá em machucar ou ser machucado, mas em nunca mudar o status de uma ou outra condi??o.? preciso que haja mudan?a de atitude. N?o raramente, encontro pessoas comorigem, cultura, oportunidades e experiências distintas na vida, mas que têm emcomum o alimentar “eternamente” seus cora??es partidos. S?o incapazes de abandonara decep??o e seguir adiante. Contudo, n?o desdenho a dificuldade de recupera??ode um amor desfeito, mas creio em sua possibilidade. O mal está em apegar-se aum amor como se a própria dor fosse capaz de fazê-lo renascer, puro e forte, nocora??o do outro outra vez. ? o tipo de sentimento que adoece a alma. Há quemnunca mais volte a experimentar o amor.

Ouvi ainda na can??o: “Amar pode curar, amar pode consertar a suaalma, e ele é a única coisa que eu conhe?o”. Se o amor pode nos machucar, éverdade que ele mesmo pode nos curar. Amar pode ser veneno e, igualmente, podeser antídoto. N?o importa que tipo de amor foi partido, a decep??o pode tersido causada por seus pais, filhos, algum amigo ou ainda,  por seu  par rom?ntico. Para quem partiu seu cora??o, épreciso oferecer-lhe perd?o, porque é importante que haja em você humildade obastante para perdoar e se recuperar. Por outro lado, você pode ter causadoessa dor, de modo que é imprescindível que haja em você humildade o suficientepara se desculpar com sinceridade, aprender com seus erros e n?o arrastar-sepelo caminho restante se desmanchando em culpa. Algumas vezes é necessárioperdoar-se antes de prosseguir. Por fim, n?o dá para garantir que jamaisseremos os algozes de um amor ou vítimas dele e, ainda assim, é preciso arriscar.

-----------
ao som de “Photograph” – Ed Sheeran
#2 Andréa Cerqueira - (@acspira)



ter?a-feira, agosto 12, 2014

Parabéns, amiga!!!!


 
Meucora??o está em festa, celebrando o aniversário de uma amiga mais do queespecial!!!

Presentede Deus para minha vida!

Felizniver, Carlinha!!! Minha amiga poetisa, cuja alma se ligou a minha e eu a amocomo amo a minha própria alma.
Comoexplicar um sentimento que n?o tem explica??o?
Como traduzir em palavras tudo o que eu sinto, desejo e quero para você?

“Eu te amo porque te amo. - diria Drummond.
Amor é estado de gra?a ...
Amor é dado de gra?a, ...
Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários".

Obrigada por me permitir fazer parte da sua vida e por me permitir caminharcontigo!
Enfim, obrigada por me apresentar o Meninas do Reino... por me fazer conhecertanta gente boa com as quais eu amo caminhar por aqui...
Você éuma inspira??o de vida para mim!!! 

Um beijo nessecora??o lindo!

 

segunda-feira, agosto 11, 2014

Preciso de coragem


Preciso de coragem... 
Coragem pra virar a página 
Coragem pra chutar o balde 
Coragem pra desprezar o que me faz mal 
Coragem pra botar o medo pra correr 
Coragem pra chorar 
Coragem pra rirPreciso de coragem... 
Coragem pra sentir dor 
Coragem pra acreditar 
Coragem pra desacreditar 
Coragem pra ter coragem 
Coragem pra n?o ter coragem 
 Preciso de coragem 
Coragem pra viver 
Coragem pra sobreviver 
Coragem pra resistir 
Coragem pra desistir 
Coragem pra me lan?ar 
Coragem pra me aquietar 
 Preciso de coragem 
Coragem pra prosseguir 
Coragem pra parar 
Coragem pra correr 
Coragem pra respirar 
Coragem 
 Coragem 
Coragem

quarta-feira, julho 30, 2014

Ele ainda é: Amigo de publicanos e pecadores...



Eu que já me sentialgumas vezes como aquele paralítico, cheio de dores e pecados, levado pelosamigos aos pés do Mestre Amado, recebendo perd?o para levantar e enfim viver. 

Também já fui Tomé e me vi incapaz de crer narealiza??o de sonhos antigos, mortos pela falta de esperan?a, pelas tentativasfrustradas, pelo esfor?o inútil que n?o deu em nada, e como Marta eu te ouvidizer: "Andas muito inquieta e tepreocupas com muitas coisas; no entanto, uma só coisa é necessária"... escolhaa boa parte e esta n?o te será tirada. 

E depois do choro, da espera, do desespero elamento pelos sonhos que eu sepultei, ouvir do mestre após 'quatro dias':"Eu sou a ressurrei??o e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto,viverá". E, perceber, enfim, que um dia o choro passa. Um dia aquilo queparecia perdido, que estava morto, apodrecido, ouve a voz da vida e ressuscitadentro de nós. Que, embora, alguns dias pare?am durar mil anos, tamanha a dor eagonia de quem com lágrimas semeia no ch?o da vida, ainda permanece umaesperan?a longínqua de colher com júbilos o pranto que se tem semeado.

Eu também já me senti Pilatos, n?o vi a Verdade,cega pela religi?o e politicagem, lavei as minhas m?os e até os pratos, por n?osaber o que fazer. Mas, como aquele cego de nascen?a enviado ao Tanque deSiloé, fui por Ti encontrada, pude ver a tua Maravilhosa Gra?a, eu que eracega pude finalmente ver. 

Como n?o podia deixar de ser... já fui Pedro tantasvezes... e sinto que ainda te nego, mesmo sem querer. Nego-te quando ignoro ospreceitos mais importantes da tua lei: o amor, compaix?o, perd?o, misericórdia.Nego-te quando n?o consigo te ver no meu irm?o, no meu amigo, num parentedesconhecido, num próximo que de t?o próximo, às vezes, fica distante demaispara o meu egoísta amor. Nego-te quando n?o esque?o o mal que me fizeram eatiro no outro as pedras que foram deixadas aos pés de quem já me perdoou. 

Mas, mesmo assim te fizestes meu amigo, quando tetornastes, em tempos idos: Amigo de publicanos e pecadores.



Beatriz Pereira

domingo, julho 20, 2014

A Amizade

Por Rubem Alves

Lembrei-me dele e senti saudades... Tanto tempo
que a gente n?o se vê! Dei-me conta, com uma intensidade incomum, da coisa rara
que é a amizade. E, no entanto, é a coisa mais alegre que a vida nos dá. A beleza da poesia, da música, da natureza, as delícias da boa comida e da bebida perdem o gosto e ficam meio tristes quando n?o temos um amigo com quem compartilhá-las. Acho mesmo que tudo o que fazemos na vida pode se resumir nisto: a busca de um amigo, uma luta contra a solid?o.

Lembrei-me de um trecho de Jean-Christophe, que li quando era jovem, e do qual nunca me esqueci. Romain Rolland descreve a primeira experiência com a amizade do seu herói adolescente. Já conhecera muitas pessoas nos curtos anos de sua vida. Mas o que experimentava naquele momento era diferente de tudo o que já sentira
antes.

O encontro acontecera de repente, mas era como se já tivessem sido amigos a vida inteira. A experiência da amizade parece ter suas raízes fora do tempo, na eternidade. Um amigo é alguém com quem estivemos desde
sempre.  Pela primeira vez, estando com alguém, n?o sentia necessidade de falar. Bastava a alegria de estarem juntos, um ao lado do outro.

“Christophe voltou sozinho dentro da noite. Seu cora??o cantava ‘Tenho um amigo, tenho um amigo!’ Nada via. Nada ouvia. N?o pensava em mais nada. Estava morto de sono e adormeceu apenas deitou-se. Mas
durante a noite foi acordado duas ou três vezes, como que por uma ideia fixa. Repetia para si mesmo: ‘Tenho um amigo’, e tornava a adormecer.”

Jean-Christophe compreendera a essência da amizade. Amiga é aquela pessoa em cuja companhia n?o é preciso falar. Você tem aqui um teste para saber quantos amigos você tem. Se o silêncio entre vocês dois lhe causa ansiedade, se quando o assunto foge você se p?e a procurar palavras para encher o vazio e manter a conversa animada, ent?o a pessoa com quem você está n?o é amiga. Porque um amigo é alguém cuja presen?a procuramos n?o por causa daquilo que se vai fazer juntos, seja bater papo, comer, jogar ou tramar. Até que tudo isso pode acontecer. Mas a diferen?a está em que, quando a pessoa n?o é amiga, terminado o alegre e animado programa, vêm o silêncio e o vazio - que s?o insuportáveis. Nesse momento, o outro se transforma num inc?modo que entulha o espa?o e cuja despedida se espera com ansiedade.

Com o amigo é diferente. N?o é preciso falar. Basta a alegria de estarem juntos, um ao lado do outro. Amigo é alguém cuja simples presen?a traz alegria independentemente do que se fa?a ou diga. A amizade anda por caminhos que n?o passam pelos programas. 

Uma estória oriental conta de uma árvore solitária que se via no alto da montanha. N?o tinha sido sempre assim. Em tempos passados, a montanha estivera coberta de árvores maravilhosas, altas e esguias, que os lenhadores cortaram e venderam. Mas aquela árvore era torta, n?o podia ser transformada em tábuas. Inútil para os seus propósitos, os lenhadores a deixaram lá. Depois vieram os ca?adores de essências em busca de madeiras
perfumadas. Mas a árvore torta, por n?o ter cheiro algum, foi desprezada e lá ficou. Por ser inútil, sobreviveu. Hoje ela está sozinha na montanha. Os viajantes se assentam sob a sua sombra e descansam.

Um amigo é como aquela árvore. Vive de sua inutilidade. Pode até ser útil eventualmente, mas n?o é isso que o torna um amigo. Sua inútil e fiel presen?a silenciosa torna a nossa solid?o uma experiência de comunh?o. Diante do amigo sabemos que n?o estamos sós. E alegria maior n?o pode existir.

(Correio Popular, 1991 ou 1992)

´´´´´´´´´´´´´´´´´´
Rubem Alves nos deixou neste mês, um dia antes do Dia do Amigo. Contudo, sua obra perpetuará e com certeza vai continuar encantando gera??es.

FELIZ DIA DA AMIZADE!

sábado, julho 19, 2014

Feliz Aniversário mana, você merece!



Noh, minha mana, Feliz Aniversário!

Desejo que seu dia e em todo o seu novo ano de vida, sempre haja:

Olhos bons, para continuar enxergando tudo com esperan?a.
Fé, para motivá-la a continuar sempre e sempre.
Sabedoria, principalmente quando for preciso decidir sobre algo.
Música, para aquietar ou inspirar a sua alma.
Paix?o, para que tudo seja colhido com primor.
Gargalhadas, para tornar qualquer desafio mais fácil de vencer.
Poesia, para que continue a escrever com do?ura.
Novos Sonhos, para o "um dia de cada vez".
E com novos sonhos, que aconte?am as boas realiza??es.
Amizades sinceras, para compartilhar a jornada da vida.
O seu Anjo, que te faz ser uma pessoa ainda mais incrível.
E AMOR, muito amor mesmo, para você brilhar ainda mais!


SVMA Nohzinha! Seja feliz, hoje e sempre!

Amoreka

quarta-feira, julho 09, 2014

Mais que 7 motivos para chorarmos



?, mais uma vez, em mais uma Copa do Mundo, a torcida brasileira chorou. Homens, mulheres e crian?as se decepcionaram e choraram, humilhados. A humilha??o se deu por conta do placar, o pior na história da Sele??o Brasileira de Futebol em Copas, 7x1 para os alem?es. Um placar que faz a derrota na final de 1950 para os uruguaios, em casa, quase insignificante. ? verdade que ainda haverá o jogo pela disputa do terceiro lugar, e ainda que ven?amos, ainda que haja algum consolo com a terceira coloca??o, como esquecer um placar desses?

Acredito que no esporte e na vida a quest?o está justamente aí, n?o é para esquecer. N?o podemos ignorar as nossas fraquezas, tampouco as nossas derrotas. Aprender a se dedicar, trabalhar por melhores resultados, se aprimorar e exercer o aprendizado da melhor forma possível, s?o li??es que todo esporte nos ensina. Desde crian?as, quando somos incentivados a praticar esportes, é jogando que aprendemos a lutar para ganhar e a aceitar a derrota quando perdemos. Mas sempre somos lembrados das li??es que a derrota nos imp?e.

Há quest?es importantes para se aprender com a derrota de ontem no futebol. No ?mbito esportivo, vimos de um lado uma sele??o alem? primorosa, dedicada, humanizada do lado de fora do campo, aplicada do lado de dentro. Planejamento, eis algo que a sele??o alem? desenvolveu. Eles planejam serem tetracampe?es mundiais de futebol e est?o em busca desse objetivo há algumas copas. Para o mundial deste ano, planejaram o Centro de Treinamento exclusivo, construído para essa ocasi?o no sul do estado da Bahia. Boa parte dos jogadores alem?es já jogam pela sele??o há mais de cem jogos. ? um time que sabe o que quer e, mais importante ainda, está unido e taticamente dedicado para um objetivo em comum. Eu n?o duvido que eles consigam. A verdade é que os alem?es s?o e provaram ontem a sua superioridade no futebol atualmente. E para quem é apaixonado por futebol, dá gosto de ver os alem?es jogarem, como foram os espanhóis em 2010.

Do outro lado nós, brasileiros, tivemos certeza do que temíamos, pensávamos ter uma Sele??o Brasileira de Futebol com alta qualidade e um bom técnico, com um bom planejamento. Acontece que fomos e estamos enganados. ? aquele famoso "parece, mas n?o é". Claro que ficamos muito otimistas com a conquista da Copa das Confedera??es no ano passado, afinal, derrotamos a favorita sele??o espanhola na final e sobraram motivos para acreditarmos que estávamos prontos para a grande conquista mundial e o t?o sonhado hexacampeonato. N?o foi dessa vez, quem sabe na próxima?

Creio que alguns de nossos jovens jogadores estar?o mais maduros, com mais jogos pela nossa sele??o e com uma experiência que lhes permitirá maior concentra??o e aplica??o tática na próxima Copa. Mas espero que tenhamos planejamento, uma tática eficiente e os jogadores certos. Anseio para que n?o tenhamos como técnico alguém que seja obstinado com suas escolhas, ao ponto de morrer com suas convic??es e afundar consigo o sonho dos atletas e de duzentos milh?es de torcedores. Mudar é preciso, se um jogador n?o está rendendo na sele??o o que deveria, tem que haver oportunidade para os substitutos. ? preciso mudar também de esquema tático quando necessário, afinal, de que adianta analisar como joga o adversário se vamos entrar em campo jogando sempre da mesma maneira? Infelizmente o nosso atual técnico é assim, ele faz suas escolhas e morre com elas, ainda que isso representa ser um fiasco.

? verdade que fomos humilhados naquilo que mais nos orgulhamos, no que estamos acostumados a sermos bons, sempre entre os melhores. O futebol, para milhares de brasileiros, é religiosamente sagrado. Mas haveremos de secar nossas lágrimas e, em quatro anos, sonharemos novamente. Só espero que, entre essa e a próxima Copa, aprendamos um pouco mais com o sabor amargo da derrota e da humilha??o e, quem sabe, em 2018 tenhamos menos motivos para lamentar dentro e fora dos gramados.

-------------
#2 Andréa Cerqueira - torcedora apaixonada e sofredora.
(@acspira)

ter?a-feira, julho 08, 2014

Bendito #FF



Há alguns anos atrás eu estava usando o Twitter, recordo-me que a rede social tinha virado uma febre e os brasileiros, como sempre fazem com redes sociais, utilizavam seus tweets de modo frenético, alguns eram chatos mesmo, muito chatos, criaram o hábito de narrar cada passo de suas a??es, como por exemplo, "Peraí galera, vou ali escovar meus dentes e já volto!". Celebridades de 140 caracteres, pelo menos assim pensavam estes.

A rede estava em pleno crescimento e havia conquistado o cora??o do povo que mais publicava conteúdo em redes sociais, os brasileiros. E havia muita coisa boa, informa??es interessantes e até mesmo bate-papo descontraído, o que tornava o Twitter uma rede bacana de se usar. Mas n?o era fácil separar conteúdo bom de conteúdo ruim, uma vez identificado um usuário que enchia a sua TL (time line) com baboseiras, unfollow nele. Eu queria seguir pessoas interessantes, que produzissem um conteúdo que valesse o meu tempo, mesmo que fosse no período do ócio criativo, ou da distra??o mesmo. Seguindo a hashtag #FF (follow friday), literalmente traduzida por "siga sexta", que consistia em, na sexta-feira, indicarmos pessoas que nossos seguidores também deveriam seguir, comecei a seguir a Carla Luna, isso porque entrei na TL dela e me amarrei nos tweets. Uma mention depois e ela interagiu. Alguns tweets depois, me indicou para seguir uma amiga sua, era a Roberta Lima. Confiei na indica??o, follow na Roberta e minha vida nunca mais foi a mesma. Tive e tenho o privilégio de ser amiga dessa "mulher-menina" ou "menina-mulher" há alguns anos e de tê-la como minha "mana de cora??o".

Falar sobre a R?, que é como eu a chamo, é muito fácil, mas ainda assim é bastante desafiador, porque você tenta encontrar palavras adequadas que possam expressar a import?ncia desse alguém em sua vida. Minha mana é alguém que sabe ser Menina do Reino, acredito que isso já faz parte do seu DNA, de quem ela é por natureza. Seu cora??o n?o pertence mais a nenhuma denomina??o evangélica, porque o próprio Evangelho a libertou do que a oprimia antes. Seu cora??o é do Reino de Cristo e é por ele que ela fala, discursa e escreve. E sempre que escreve, seja uma poesia ou uma cr?nica, suas palavras edificam a minha alma e iluminam a minha jornada, porque o que ela expressa sobre o Reino, sendo Menina ou Mulher, produzem vida e luz.

Minha mana sabe falar carinhosamente como amiga, sabe gargalhar e brincar com as palavras e também sabe dar um pux?o de orelhas com sabedoria. Minha amizade já provou todos esses aspectos multifacetados da amiga R?. E como é bom poder compartilhar de sua amizade, experiência e loucura do dia-a-dia de quem é brasileira e n?o desiste nunca, de quem batalha, arrega?a as mangas e vai à luta. De quem n?o se cansa de aprender e, mais ainda, n?o se omite em transferir aprendizado.

Bendito o #FF e bendita também seja a vida da mana Carlinha pela indica??o. Aquele #FF produziu frutos que n?o caberiam em 140 caracteres, mas a eternidade saberá expressá-los.

R?, amo a tua vida, seja FELIZ hoje e sempre!

SVMA
Déinha
=]

quinta-feira, julho 03, 2014

? sempre tempo de recome?ar...




O que é o des-espero sen?o o cansar-se daesperan?a,
quando a espera parece que nunca alcan?a,  quando a alma se cansa de tanto esperar.

 
E o que se tem é solid?o, é quietude, silêncioque n?o pacifica, 
silêncio que mudo grita, alma cansada e aflita, semlugar para repousar.

 
Faz-se uma prece silenciosa, olhos molhados,alma sequiosa,
o silêncio é a resposta, no céu estrelas abrilhar.


Em tempos dedes-esperan?a,
人与动物性交em Deusminha alma espera, só nele minha alma descansa.

Aprende-sea partir o p?o quando o que se tem é solid?o,
respeita-sea dor alheia, quando percebe-se que é sangue que corre na veia.

 
Quandoo dia chega e sobrep?e a madrugada,
muda-sea esta??o da vida, alma fica humanizada.

 
Poraqui é primavera, ver?o, outono e inverno,
poraqui n?o é eterno, é sempre tempo derecome?ar...
 
 
Beatriz Pereira
 

segunda-feira, junho 30, 2014

Antigas vitórias


Há um poder destrutivo nas antigas vitórias. Algo que nos faz pensar que que s?o eternas e que podemos revivê-las sempre que as lembrarmos.

Nos aquecemos pensando em como aconteceram, como se  ainda existissem e merecessem total aten??o e respeito.

Infelizmente, as conquistas têm curto prazo de validade; esfarelam-se após alguns poucos meses.
Se venceste há cinco meses em algo, hoje já n?o as possui mais.
Essa é a regra.

N?o. Por favor, n?o pense que isso é cruel ou rude. A vida tem seus motivos de ser assim.
Precisamos de novas conquistas, novos assuntos, novas maneiras de ser nós mesmos sempre. Precisamos ter conosco desafios que nos impulsionem a fazer mais e melhor. ? por isso que deprecia-se quem vive os tempos passados somente.

O antigo provérbio iídiche tem suas raz?es em dizer:

'O homem é o que é, n?o o que foi.'

Ent?o seja.
Seja, na conjuga??o mais presente do verbo.
Seja o seu melhor todos os dias.
Pois viver pode até parecer, mas n?o é atemporal.


Um beijo,
Lu.

quarta-feira, junho 25, 2014

Porque o Reino é um reino de amigos... e alguns s?o mais chegados do que irm?os.



"Quem aumenta o número de amigos é sábio". (Provérbios 11: 30b)

Penso que essa é, e, sempre será a melhor tradu??o para o texto de Provérbios, ao invés, de o t?o famigerado e já desgastado texto "quem ganha almas é sábio".

Se bem que fazer amigos é, necessariamente, "ganhar a alma" de alguém, mas por raz?es que s?o minhas, eu prefiro muito mais dizer: é muito sábio fazer amigos.

Fazer amigos, ter amigos, e, principalmente, ser amigo...

Tenho amigos que de t?o próximos assemelham-se a irm?os, há amigos com os quais eu me encontro pouco, mas tenho-os sempre no meu cora??o. Ter um amigo é converter o seu cora??o a outro cora??o, é permitir-se ser habitado pelo ser de outro alguém.

Amizade é uma conex?o inexplicável de almas que nos completa e nos acalma, nos faz querer seguir em frente.

Procuro n?o ser um peso desnecessário para os meus amigos.

? um prazer enorme para mim conhecer os amigos dos meus amigos.Tenho amigos que me ajudaram a levantar quando os problemas e as afli??es da vida tentaram de alguma forma me paralisar. Outros me ajudaram a enxergar quando as muitas lutas e decep??es tentaram turvar a minha vis?o.

Meus amigos s?o muito importantes para mim, mas entendo perfeitamente que eles têm suas prioridades e n?o vivem especificamente para mim.

Já tive amizades que me desconstruíram, me fizeram ver em mim tra?os de uma personalidade que eu até ent?o desconhecia. Outras amizades me construíram, me fizeram querer ter em mim qualidades que eu nem sabia que existiam.

Sim! Há muita sabedoria no fazer amigos e preservá-los, no conhecer tantas pessoas t?o diferentes de mim e desenvolver com elas uma rela??o de amor, respeito e cuidado. Eu me conhe?o nesse processo de intera??o, aprendo a n?o ultrapassar os limites do bom senso, torno-me uma pessoa mais generosa, me humanizo. 

Disse o poeta: "Eu poderia, embora n?o sem dor, perder todos os meus amores, mas enlouqueceria se perdesse todos os meus amigos."

Eu enlouqueceria de qualquer forma, meu amor é um dos meus melhores amigos.

Beatriz Pereira


ter?a-feira, junho 24, 2014

Minhas perdas s?o ganhos para mim


Das muitas perdas que tive na vida,
dos tantos caminhos nos quais me perdi,
das oportunidades que foram perdidas, das portas que eu nunca abri,
dos abismos nos quais me lancei na esperan?a do paraíso encontrar,
nas estradas por quais eu andei sem caminho nenhum encontrar,
do medo que me paralisa, das muralhas que um dia ergui,
da esperan?a que ainda me motiva, do teu Amor que impele-me a Ti,
que os meus olhos n?o se percam dos Teus,
que a tua boa m?o esteja sempre a me conduzir,
Tu ressignificas meu passado. Em ti as perdas s?o ganhos para mim.



Beatriz Pereira

sexta-feira, junho 06, 2014

Uma poesia para Deus




Deus,
Pe?o-te:
Interpreta-me.

N?o leia apenas as minhas palavras;
Elas s?o poucas,
Frágeis,
Quebradi?as.

Cá, dentro, tem um mundo:
(Quase sempre)
Inabitado.
(Quase sempre)
Incompreensível.


Sei que habitas no secreto,
Nos dias em que n?o há;
Nos cantos intocáveis,
Nos acontecimentos invisíveis.

Por favor, pe?o-te:
Cubra-me!

Cubra me,
Com o teu silencioso cuidado.
E eu me abrigarei na confian?a,
De que sempre estarás comigo.



Luciana Leit?o

sexta-feira, maio 16, 2014

Crer quando ninguém crê!



"Imediatamente a menina, que tinha doze anos de idade, levantou-se e come?ou a andar. Isso os deixou at?nitos."
(Marcos 5:42)

Existem momentos em que Deus permite algumas coisas acontecerem em nossas vidas para fins proveitosos, ainda que n?o enxerguemos ou concordemos. Existe um grande desafio, o de crer até mesmo quando ninguém crê! Foi isto que a família de Jairo experimentou, buscou a Jesus mesmo contra toda a desesperan?a! Ela estava morta e voltou a viver e todos ficaram maravilhados.

Experimentamos uma prote??o cuidadosa quando nos colocamos nas m?os de Deus. Podemos enfrentar situa??es que parecem ser gigantes demais para transpormos, mas temos um Deus que n?o dorme e estará conosco em todo o tempo. Assim como a sombra projetada por uma pessoa a acompanha, assim é Deus ao teu lado!... Sê forte e corajoso; n?o temas nem te espantes, porque o Senhor, teu Deus, é contigo por onde quer que andares (Josué 1:9).


---------------------

Fonte: Devocionário A Jornada - O amor e a Gra?a de Deus

domingo, maio 11, 2014

Feliz Dia das M?es


Um Feliz Dia das M?es:

Para essas mulheres guerreiras que batalham por seus filhos,
Para as que sonham e incentivam suas crian?as,
Para as que acolhem com ternura até mesmo quem n?o nasceu de seu ventre,
Para as vigilantes noturnas que n?o se cansam de orar pelos seus,
Para as que compartilham sabedoria e experiência de vida,
E também dicas de beleza e culinária.

Para todas as m?es que aprenderam a compartilhar, sobretudo, amor e fé.

quinta-feira, abril 10, 2014

Um tempo para o meu silêncio















Houve um tempo para o meu silêncio.
Um tempo de dor.
Dor de luto.
Luto da perda.
Perda com gosto amargo da despedida.
Despedida do meu av? amado.

Houve um tempo para o meu silêncio.
Um tempo de correria.
Correria com muitas tarefas.
Tarefas para mudar.
Mudar para voltar.
Voltar a morar onde nasci.

Houve um tempo para o meu silêncio.
Um tempo de adapta??o.
Adapta??o em busca de rotina.
Rotina de cidade grande.
Grande tal qual o desafio.
Desafio de crescer como pessoa.

Houve um tempo para o meu silêncio.
Um tempo de dor.
Dor de um novo luto.
Luto de mais uma perda.
Perda com gosto amargo da súbita despedida.
Despedida da minha amada avó.

Houve um tempo para o meu silêncio.
Um tempo em que as palavras fugiram-me.
Um tempo reservado para calar.
Um tempo próprio para reflex?o.
Um tempo de aprendizado.
Um tempo no qual Deus p?de restaurar o meu cora??o.


"Nessa vida tudo tem sua hora; há um tempo certo para tudo!"
(Eclesiastes 3 - A Mensagem)


...................................
#2 Andréa Cerqueira
(@acspira)

quinta-feira, abril 03, 2014

O ópio do homem de lata ( Uma nova conversa de inverno)






De repente uma conversa surge em meio ao sono. Dentro de um quarto escuro, em uma casa comum da cidade, um homem de lata recebe uma visita inesperada, e um diálogo desabrocha de ambos olhares que se focaram, ali no meio do tempo: 


Homem de lata : Sabe querido, estive pensando e cheguei a conclus?o que preciso daquela água  que você prometeu dar aquela mulher na beira do po?o, n?o quero mais sentir sede sabendo que você pode me saciar.  Preciso dela para limpar meu cora??o também, acho que tem muita sujeira cá dentro, algumas coisas  congelaram  por falta de uso e como o tempo é de frio, n?o encontrei outro lugar para me esquentar.

Está t?o frio lá fora, que foi inevitável esfriar aqui dentro também. Infelizmente eu permiti o inverno entrar pela janela (deixei ela aberta por muito tempo). Eu sei também que dentro do meu cora??o só você sabe pisar, ent?o queria te pedir outro favor, será que seria demais pedir para aquecê-lo também? Porque eu sei que na hora que você aquecer meu cora??o muita coisa vai voltar a funcionar.
Parece que a caixa d'água estragou, n?o sai mais água. N?o escorre pelos olhos. Só ou?o estralos. 

O jardineiro: Meu querido amigo, sabes o que estás a me pedir? Suponho que saiba que a partir de ent?o come?ará a sangrar porque vou aquecer seu cora??o, mas sugiro que espere mudar a esta??o. O inverno também tem sua fun??o. Espere que o ver?o já vem. N?o posso mudar as esta??es apenas para curar você. Mas, posso te ensinar a se aquecer.
Está  disposto a doer novamente, perceber  dores, se comover com o amor, se deixar afetar? Eu acompanhei você por todos os caminhos que te trouxeram até aqui, e estou feliz que mesmo assim você ainda queira  sangrar.

Corajoso, hein?

Homem de lata: Sim, quero. Quero sangrar novamente, quero que me aque?a, quero que amole?a meu frio cora??o, estou cansado de n?o ver as lágrimas rolarem, estou cansado de ver tudo acontecer  sem ao menos ter outra rea??o. Estou me sentindo um homem de lata, daquele desenho, sabe?

O Jardineiro: Tava com saudades das nossas conversas, você ficou muito tempo sem me falar com palavras. Te entendo, homem de lata, eu entendo você.
Homem de lata: Nosso amor realmente é forte, ultrapassou os limites da vida, da lógica, da raz?o e da morte. Veja só querido eu praticamente morto e sem vida ainda sim chamei por você e você me ouviu.   
Me dê vida também?  Quero viver  !

O Jardineiro: Minha vida é sua, n?o entendeu ainda, que meu amor em você e por você é mais forte? Jamais estive longe, estava ao seu lado, mas n?o podias me perceber. 

O homem acordou assustado em sua cama, e percebeu que embora n?o fosse aquele ser do seu sonho, se identificou muito a ponto de pensar que era mesmo um androide.
Uma lágrima ent?o escorre dos seus olhos, e com sorriso entendeu que seu pedido foi realizado. Seu cora??o foi levemente aquecido,  o resto era quest?o de tempo. Acordou pensando no sonho que teve, de t?o real, sentiu calor. A partir de ent?o, tudo passaria a ser diferente por causa daquele breve, eterno momento.
Se deu conta que, era impossível ter aquele sonho, de forma t?o precisa.

Mas sonhou. E agradeceu. 
Aquele ser nunca mais foi o mesmo. 

Ele passou a ser humano.


Si Caetano via Diário de uma Lagarta